“Já passaram por estas últimas doze edições mais de um milhão de visitantes, já se candidataram ao nosso festival cerca de meio milhar de projetistas, de entusiastas dos jardins, de arquitetos, de paisagistas de verdadeiros amantes da natureza, do ambiente, dos jardins e dos espaços verdes. E este festival tem cada vez mais força, pela sua originalidade, pela sua criatividade, pela sua inovação, dentro daquilo que é uma estratégia de desenvolvimento assente na preservação dos valores culturais e dos valores ambientais”, revelou o Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima, Eng.º Victor Mendes, na abertura oficial da 13ª edição dos Festival, este ano sob o tema “O Jardim das Descobertas”.

Sobre o tema deste ano, o Diretor do Festival, Eng.º Francisco Calheiros disse que “ é aliciante, «Jardins das Descobertas» - a que Portugal está diretamente ligado por força dos descobrimentos, mas também das descobertas sobre o ponto de vista científico, e isso ficou relevado em vários dos jardins que aqui estão presentes. A essência deste festival é isso mesmo, por um lado criar atratividade de Ponte de Lima. Mas este não é um Festival de Ponte de Lima só, é da região, é do país, porque é único a nível nacional.”

Tendo como convidada de honra, a Secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza, Célia Ramos, o Festival este ano acolhe jardins de três continentes, da Argentina, do Brasil, da Áustria, da Itália, da Holanda do Japão, Espanha e Portugal.

A Secretária de Estado do Ordenamento do Território e da Conservação da Natureza realçou a persistência do projeto “O Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima é um dos mais persistentes e singulares projetos implementados a nível nacional. Tem lugar desde 2005 e é o único com as características que se realiza no país. Não é só único, e tem continuidade, como se afirma de ano para ano como uma referência nacional e internacional da arte dos jardins, do gosto pelo culto dos jardins e pela jardinagem, numa ligação profunda com a preservação do património e com a defesa do ambiente.”

Também o Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima confirmou a internacionalização do Festival “O FIJ é uma referência internacional”, recordando o Prémio Garden Tourism Awards, integrado no evento internacional “2013 North American Garden Tourism Conference”, em Toronto, Canadá e recentemente a distinção “Europe for Festivals, Festivals for Europe” - EFFE Label 2017-2018, pela Associação Europeia de Festivais. O autarca referiu que estas distinções são “um motivo de orgulho, um motivo de satisfação, mas também para nós uma responsabilidade acrescida. Em 2013 fomos galardoados como sendo o melhor festival do mundo de um júri sediado no Canada, e exatamente pelo impacto que tem para nós no turismo, no concelho de Ponte de Lima e na nossa região, e felizmente já em 2017 acabamos de ser também galardoados com outro prémio com grande reconhecimento internacional, da associação europeia de festivais, que nos atribuiu uma marca, um selo de garantia, a marca EFFE - «Europe for Festivals, Festivals for Europe» - significa estarmos no mais alto patamar de festivais, não apenas de jardins, aliás, este é o único festival de jardins do mundo que faz parte dessa plataforma.”

Confiante no sucesso de mais um projeto, o Presidente da Câmara Municipal de Ponte de Lima disse que “Esta será seguramente uma edição de sucesso da qual não quero deixar passar despercebido o Festival de Jardins Escolinhas do concelho. A comunidade educativa teve um importante papel neste voto de envolvimento da comunidade, dando continuidade e coerência à política de Ponte de Lima da proteção do fator ambiental, que tem como consequência direta a valorização dos valores patrimoniais, que são parte da nossa estratégia. Este projeto diferenciador é uma alavanca do concelho, daí termos sido galardoados com o selo de garantia EFFE, que no fundo nos permite estar numa plataforma de festivais do continente europeu. É uma enorme honra e uma enorme responsabilidade. Um reconhecimento do trabalho desta grande equipa que ajuda à construção deste projeto, os jardineiros, os carpinteiros, os responsáveis pela serralharia, etc. que constroem este grande projeto internacional.

De portas abertas até 31 de outubro, visite as propostas da 13ª do Festival Internacional de Jardins de Ponte de Lima:

  • A Globalização das Plantas - Casa Comum - Instituto S.João de Deus – Casa de Saúde S. José e Aroma do Vale – Portugal
  • A Viagem das Descobertas – Carina Esteves e Maria José Cachaço – Portugal
  • Um Jardim para Descobrir – Pablo Torralba e Maria Rosa Pina Burón – Espanha
  • Novaterra – Jose Souto – Espanha
  • El Secreto – Melisa Duque Fernández e Agustina Bazán – Espanha / Argentina
  • Inventionem Arcus –The Discovery of the Rainbow – Lea Rutz e Xenia Hofmann – Alemanha
  • A Descoberta dos Sentidos – DRIADES Paisagismo - Daniele Costa e Regiane Freitas - Brasil
  • Jardim dos Sete Continentes - Mara David Lalic, Michal Gajkowski, Petra Muller, Roland Wuck – Boku University – Austria
  • Descobre a Descoberta – LoStudioQ – Ilaria Tabarani, Lollo Decembrini e Carlo Giannone – Itália
  • Intersezione Ponte de Lima – Aris de Bakker e Karola Pezarro – Holanda
  • El Jardin del Circulo – Masayuki Tanaka – Japão

Durante os meses de junho e julho, o Festival pode ser visitado das 10h00 às 20h00, em setembro, das 10h00 às 12h00 e das 13h00 às 19h00 e em outubro, encerra às 18 horas. No período da manhã de segunda-feira o Festival de Jardins encontra-se encerrado para se realizar a manutenção do mesmo.

A edição de 2018 já tem tema, “O Clima nos Jardins”, e mais uma vez procuram-se projetos inovadores, sendo que as candidaturas para a referida edição, já estão abertas e prolongam-se até 15 de novembro.


30 de Maio 2017